quinta-feira, outubro 12, 2017

Amor, Esperança e Fé - Uma Antologia de Citações em e-book gratuito


      Amor (ou caridade), Esperança e Fé: As três principais virtudes cristãs, conforme arroladas pelo apóstolo Paulo no décimo terceiro capítulo da Primeira Carta aos Coríntios, um dos ou talvez mesmo o mais belo capítulo de todo o Novo Testamento. Os católicos chamam-nas de virtudes teologais, que seriam infundidas por Deus no homem, e cuja ação é complementada pelas virtudes cardinais (prudência, justiça, fortaleza e temperança).
      Este pequeno e-book surge por ocasião das comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante, deflagrada pelo monge agostiniano Martinho Lutero. Nesta breve seleta, reunimos nada menos que setecentas e cinquenta citações, duzentas e cinquenta abarcando cada uma das virtudes. São textos notadamente de autores cristãos (reformados e de outras vertentes), mas não somente; autores de outras confissões religiosas aqui comparecem, e mesmo agnósticos e livres pensadores os mais diversos, contribuindo para o entendimento e a reflexão plurais sobre tais temas de infindável profundidade. Assim, mesmo focado na seara cristã, esta pequena antologia é de valia para todo tipo de leitor, todo aquele que tem sua atenção capturada pelo mundo das ideias.
      “Mas, as virtudes teologais: o que tem isso a ver com a Reforma?”, perguntará o leitor mais desatento. E que foi a Reforma, senão um retorno ou esforço de retorno aos fundamentos da fé cristã uma vez perdidos ou obnubilados? Anseio desesperado de tornar às bases e raízes que foram amortecidas ou banidas em troca de conceitos débeis e prostituídos? Se assim entendermos, percebemos que nada há de mais basilar em nossa crença do que o consórcio destas três virtudes capitais. São elas que garantem a simplicidade revolucionária da mensagem dAquele que se ofereceu na cruz.
      Como editor e antologista, esta é minha singela forma de celebrar o reempoderamento da verdade manifesta no entendimento do suficiente poder salvífico da fé, herança maior da Reforma. E também um presente aos leitores.
      Entendo a fé como certeza alicerçante, base de todas as bases, chão do ente feito à imagem de Deus. A esperança é uma rebelião contra um status, revolta primeva e perene contra uma maldição herdada no Éden, que seja, a morte (Gn 3). Esperança é rebelião contra a Queda, contra a sua consequência: Deus puniu e não há recuo, mas ainda assim Deus encontrará em amor uma forma de nos remir. E o elo de tudo, o amor, ah... como escrevi algures, prefaciando o livro de um amigo: Este mistério fundacional da espécie [e do cosmos], a um tempo barco e co-navegante com o Homem sobre o mar do Tempo, esta magna transcendência que desvela o motivo de ser do próprio Universo, o Amor é âmago e imago (imagem) das razões de Deus.  
      Que esta pequena seleta seja de proveitosa e edificante leitura a você, amigo leitor.  Mais que um livro a ser lido, nosso esforço foi para tornar este pequenino volume um livro a ser revisitado.

Sammis Reachers, editor

Para baixar o livro pelo Google Drive, CLIQUE AQUI.
Para baixar o livro pelo Scribd, CLIQUE AQUI.
Para baixar o livro pelo Slideshare, CLIQUE AQUI.
Para baixar o livro pelo 4Shared, CLIQUE AQUI.

Colabore conosco, repassando este e-book para seus amigos e contatos. Você pode ainda disponibilizá-lo para download (sempre gratuitamente) a partir de seu site ou blog. E caso não consiga realizar o download, e queira receber o arquivo por e-mail, escreva para: sreachers@gmail.com

terça-feira, outubro 10, 2017

Deus Mendigo -Teografias: Livro de Luis Cruz-Villalobos para download


O poeta e pastor presbiteriano chileno Luis Cruz-Villalobos publicou, recentemente, a edição em português de seu livro Deus Mendigo - Teografias, cuja tradução ficou a cargo de Flavia Romera e Jorge Barro. A edição é mais uma iniciativa da Hebel Ediciones, uma casa plural e sem fins lucrativos que tem disponibilizado excelente poesia latino-americana na rede, já de há algum tempo.
A poesia de Luis é uma poesia de liberdades e metáforas; ao fotografar, ao teografar a divindade vestida de pó, ao fazer Deus descer ao nível de cada um de nós, e mesmo dos menores, piores dentre os homens, o autor traz à tona e celebra o Deus em nós, que criados fomos à sua imagem e semelhança. Sua poesia e suas licenças, ainda que poéticas, podem não agradar a todos, e cremos mesmo que assim será; mas como editores não poderíamos nos furtar de divulgar tal obra singular e repleta de humanidade.

Para baixar pelo site Google Drive, CLIQUE AQUI.
Para baixar pelo site Scribd, CLIQUE AQUI.


O DEUS-PARDAL

Se Deus existisse
Nada mudaria
Dizia Sartre
Desde a sua estrábica perspetiva
Mas está claro
Que o deus platónico
Ou o aristotélico
Ou o não-deus do príncipe Gautama
Ou o Logos estoico
Ou o de Spinoza
Enfim
Nada poderiam mudar
Tal como o deus deísta
Relojoeiro louco
Palrador distante
Impotente por definição
Apático por suprema excelência
Esse Deus
Nada
Zero à esquerda
Definitivamente
Sartre estava certo
Nula ajuda
Um Deus frio e calculista
Impávido
Nada
Mas não poderão negar jamais
Que o Deus-pardal
O Deus empobrecido
O Deus apaixonado pela sua obra de arte
O Deus louco de amor
O Deus mártir
Este e só este Deus
Muda tudo
Tudo deixa em desconstrução
Como os átomos dançarinos.


ÓRFÃO E VIÚVA

A Ernesto Cardenal, por exemplo

Contam que Deus
O mesmo que fez dançar
O primeiro átomo de hidrogénio
E que sabe o número
de todos os sistemas de galáxias
Costuma visitar os órfãos
E as viúvas
Pela noite
Sussurra-lhes uma canção
Ao ouvido
Beija-lhes a testa
E parte triste
Desejando fazer-se carne
Fazer-se pai/mãe palpável
Fazer-se esposo/esposa visível
Mas já não pode
É outro o projeto
Por ele
Parte veloz
Como vento espectral
A sussurrar a mesma toada
Ao ouvido daqueles que lhe têm
Um amor extremado
Indiscriminado
Profundo
E que estão e estiveram dispostos
A ser os pais/mães/esposos/esposas

Dos desolados da terra.


segunda-feira, outubro 02, 2017

Três poemas de Clávio Jacinto


TEMPO E ETERNIDADE
É muito pobre o coração
Que vive a todo o instante diante do maravilhoso
Sem contudo ter uma esperança que ultrapasse
Seu próprio tempo

Sobre o Grande Amor
Um coração que carrega um amor debilitado
é incapaz de ser herói
Não tem coragem de sofrer um sacrifício

Um coração que carrega um amor fraco
Não vence o proprio egoismo
Não se interessa pela pratica do altruísmo

O coração que carrega um amor pequeno
Tem que suportar o próprio fardo
De viver uma vida completamente vazia.

Mas o coração que sustenta um grande amor
É capaz de experimentar uma grande felicidade


Eternos Sonhos da Ultima Aurora
Nas naves do esquecimento viajo
Num mundo profundo de ventos que cantam
No limiar da imaginação e todos meus sonhos
Nas gotas dos sorrisos que incendeiam a alma
Que épico é esse distante mundo sem ninguém
Feito de folhas de ciprestes e essência de morangos
A alma da tarde e o berço de todas as estrelas
Somente eu mergulho nessas fontes da noite
Como um beijo que adoça a alma do matrimonio
Uma canção que faz o espírito ficar suspenso
Entre o coração e véu imaginário
A tarde de todas as mais benditas consolações
Porque minha vida, por quê?
Nesse ultimo jardim, florescem todas as rosas?
Como se a violência dos náufragos gemessem
Numa agonia de ser a eterna primavera
Sou seu pobre humano, entre as sombras
Esperando a aniquilação de todas as tristezas
Pra que em ceia de noites glorificadas
Meu amanhecer repouse nas matizes da áurea esperança

segunda-feira, setembro 25, 2017

Dois poemas de Silvino Netto


MINHA ORAÇÃO AOS 75 ANOS!
(Preparando sua oração para a comemoração de seus 75 anos em 19/09/2017)

DEUS,
Por quanto tempo o Senhor
Me quer ainda aqui na terra?
Não tenho pressa de partir,
Mesmo sabendo que para aonde vou
Não terei mais dores, nem lágrimas, nem...
Pretendo curtir
Um pouco mais aqui.
Tenho sonhos e preciso consolidar
As obras de tuas mãos!
O Senhor mesmo disse pelos profetas
Que os velhos sonhariam
E dariam muitos frutos viçosos e vigorosos.
Então, quero ser um velho enxuto!
Quero saborear meus frutos
E compartilhá-los
No amadurecer de minha vida!
Sei, também, que não é na quantidade de anos
Que registramos nossa existência terrena.
Por isso, quero que meus frutos
Sejam mesmo de qualidade,
Ainda que não muitos!

Aos 75 anos, aos poucos,
Começo a arrumar as malas
Sem pressa de partir
E sem a neura de contar os dias
A não ser para alcançar um coração sábio!
Não tenho a pretensão de viver
A experiência de Enoque
Que, se eu entendo o que a tua Palavra diz,
O Senhor o tomou sem passar pela morte.
Quem sou eu, para querer tanto!!!
Mas, peço-te que me ajudes
A continuar minha trajetória,
Andando contigo,
Com bengala ou sem bengala,
Com cabelos ou sem cabelos,
Com artrose ou sem artrose,
Com rugas ou com mais rugas,
Com ou sem ponte de safena...
Mas com um coração sadio,
Andando contigo longas caminhadas
Assim como Enoque
Andou contigo!


PALMAS PARA AS PALMEIRAS!
(Set. 2017) 

Acompanho as notícias dos furacões
Na sua fúria impiedosa de destruição!
Ruas vazias, ventos fortes,
Abrigos repletos de refugiados,
Força das águas, inundações,
Mortes,
Perdas incalculáveis,
Medo, terror nos corações....

Neste cenário,
De fúria de  cão devorador,
Impressiona-me a força das palmeiras!
Sacudidas por todos os lados,
No balanço de suas folhas em leques,
Para lá e para cá,
Resistem a força, impiedosa, de ventos fortes!

As palmeiras me fazem ver, a vida assim!
Furacões inesperados nos atingem,
Desafiam nossas forças,
Querendo destruir nossos sonhos,
Levar o que construímos,
Nosso patrimônio,
Nossa família...
Arrancar nossas raízes,
Balançar nossas estruturas
E nos derrubar!

Em meio a dor
Do furacão destruidor
As palmeiras me inspiram
E me ensinam a enfrentar os furacões da vida!
Eles existem, em momentos diferentes,
Em escala maior ou menor de devastação,
Deixando rastros de destruição!

Mas, as palmeiras me ensinam
Que é possível resistir a força do  furacão!
Ainda que abalado...
As palmeiras me ensinam
A crescer buscando as alturas,
Firmar as raízes
Abraçado nas rochas
E regado pelos mananciais inesgotáveis!

Na vulnerabilidade das ventanias,
Dos furacões,
Quero a força divina da palmeira
Dentro de mim,
Para permanecer na fé,
Enfrentando as tempestades da vida,
Na certeza de que elas passam
E se desfazem,
Ainda que possam voltar
Mas, me encontrarão de pé!

PALMAS PARA AS PALMEIRAS!

terça-feira, setembro 12, 2017

365 frases sobre Educação, em livro gratuito


A EDUCAÇÃO em 365 frases - Algumas das melhores definições 
e reflexões sobre a Educação de todos os tempos. 

Desde muito antes de Comenius e Herbart, “pais fundadores” das modernas didática e pedagogia, retrocedendo aos gregos e indo além, a educação ocupa importante papel na preocupação humana. Nascidos os mais impotentes e dependentes dos mamíferos, não é senão através de abnegado cuidado e instrução que aprendemos a ser e estar em nossa condição de seres sociais.
Vivemos num mundo onde o conhecimento, e logo a educação, assume definitivamente a posição preeminente no escopo dos anseios e objetivos humanos, adquirindo sua talvez maior valorização e democratização ao longo de toda a nossa história. No Brasil, mais e mais pessoas têm acesso ao ensino superior, e o principal: consciência de sua importância, e consciência de que é possível, independentemente de sua classe econômica e faixa etária, ter acesso e ter sucesso.
Este breve livro reúne uma seleção de definições e reflexões sobre a Educação, conforme o entendimento de autores e pensadores os mais diversificados; afinal já dizia Salomão em seus Provérbios: “Na multidão de conselhos há sabedoria”. Sim, damos voz a gregos e troianos: se a unanimidade não é burra, como dizia Nelson Rodrigues, ao menos é uma companhia que merece suspeita. E uma antologia de frases é assim, tece sua colcha de um mostruário de opiniões díspares, uma coleção de alteridades que a enriquecem.
Ao mesclarmos reflexões sobre a educação, o ato de educar(-se), o educador, a escola, nosso objetivo é prover conteúdo para a reflexão de educadores de todas as vertentes, e também para estudantes, pais, filhos e a qualquer interessado neste tema capital.
Como professor, minha esperança é, aqui neste livrinho e em tudo o mais, inspirar a quem aprende e inspirar a quem ensina, para que todos cheguem juntos à certeza de que ambos são na verdade um só, avançando numa mesma e única estrada.
Que este seja um porto propício e benfazejo para onde você sempre possa retornar, em busca de inspiração e renovo: este é nosso maior anseio e nossa recompensa, amigo(a) leitor(a).
No mais, este é um recurso gratuito; compartilhe-o livremente com seus contatos – seus alunos, professores, companheiros de vida e caminhada.
                                     

Sammis Reachers, organizador

Para baixar o arquivo (pdf) pelo Google Drive, CLIQUE AQUI.
Para baixar o arquivo (pdf) pelo Scribd, CLIQUE AQUI.
Para baixar o arquivo (pdf) pelo SlideShare, CLIQUE AQUI.


terça-feira, setembro 05, 2017

Odeio Esperar, poema de Paul David Tripp


Odeio Esperar

Paul David Tripp

Odeio ter que esperar.
Tenho lugares aonde ir
Tenho gente a ver
Tenho coisas a fazer.
Eu me amo
e tenho um plano maravilhoso
para minha vida.

Odeio ter que esperar.
Não me agradam os obstáculos
Em meu caminho
Ou pessoas que não estão de acordo
Ou processos que me tomam demasiado tempo.

Odeio ter que esperar.
Não gosto das estradas
Ou o tráfego
Ou compromissos atrasados
Ou pessoas que chegam tarde.

Odeio ter que esperar. Me levanto todos os dias
Com uma agenda.
Eu sei
O que quero alcançar.
Eu sei
Como quero que se faça
Eu sei
Onde quero que se faça
Eu sei
Quando quero que se faça.
Eu sei
Com quem quero fazer.
Eu sei
Porque tem de ser feito desta maneira.

Odeio ter que esperar
Porque
Sou eu que tenho que esperar.
Não me importa
Que você tenha que esperar
Porém eu não quero ter que
Esperar-lhe.

Odeio ter que esperar
Porque
Tendo a me por
No mesmo lugar
Em que eu nunca supunha ter que estar
E
Tendo a querer ser
A única coisa que
Eu nunca deveria ansiar ser.

Odeio ter que esperar porque
Quero estar
No centro do meu universo
E eu quero ser
Meu próprio soberano.

Quando me esqueço de teu plano
Quando perco de vista a tua vontade
Quando me ponho a pensar
Que minha vida me pertence
Quando caio presa
Da ilusão
De que sou mais sábio que tu
E
Meu caminho é melhor que o teu
Então odeio esperar
E
Amaldiçoo os obstáculos do caminho.

Porém tu és soberano
E tu és
Bom
E amoroso
E clemente
E terno
E poderoso,
Cheio de compaixão
Repleto de misericórdia.
Tu me compraste
Com o preço de teu Filho.
Tu me perdoaste
E o custo foi sua morte.

Apesar de todas as minhas tentativas
Em sabedoria independente
E auto-soberania
A verdade é
Que minha vida não me pertence.

Então
Uma vez mais caio de joelhos.
Uma vez mais abro minhas mãos
E
Entrego minha vida de novo a Ti
E digo
Faça em, com e através de mim
O que crês que é melhor
E
Vou te seguir
E quando
Tua sabedoria e graça
Exigirem
Vou estar disposto
A esperar.

Traduzido por Sammis Reachers, via

terça-feira, agosto 29, 2017

Três sonetos de Márcio Sérgio Cassiano de Freitas


A CRIAÇÃO
No princípio criou Deus, Céus e Terra
E a Terra era sem forma, era vazia;
Sobre a face do abismo havia trevas
E o Espírito de Deus que se movia
Sobre a face das águas ; Criou a luz
E criou a noite e o dia ; E separou
As águas, fez os Céus por Sua voz
E a porção seca – terra, se formou...
Criou assim também todos os mares;
Na terra ervas e frutos e sementes...
E fez no quarto dia os luminares:
Sol, lua e as estrelas fulgurantes...
Fez no outro dia os peixes e as aves;
No sexto, enfim criou os seres viventes...

Referências Bíblicas: Gênesis 1:1 a 31.


VINDIMAS ( colheitas )
Ai de mim ! Porque estou como os rabiscos
Tênues dos meus cadernos, das vindimas...
Na colheita dos frutos, como os ciscos...
( Em toda parte há mal e dor, ruínas... )
Transgridem as Tuas leis, nos armam espinhos;
Mas eu esperarei em Ti Senhor!
Confiarei em Deus e em Seus caminhos,
Verei Sua justiça e Seu amor...
Feliz me exaltarei, pois não há riscos:
Em Ti me gloriarei, Oh Salvador!
Rabiscos das vindimas entre espinhos,
Oh ! Ai de mim Senhor... Só há ruínas!
(Nem há em quem confiar ; só mágoa e dor)
Vindimas de carinho entre rabiscos...

Referências Bíblicas: Miquéias 7:1 a 7 ; Isaías 17:5 a 11 ; 24: 11 a 15 ; Jeremias cap.9 ; Salmos 119:30.


CONSTERNAÇÃO
As Tuas misericórdias, Oh Senhor
São a cada manhã bem renovadas...
Não somos consumidos, pois o amor
Do Senhor não tem fim... E consolados
E plenos de esperança e de louvor
Em silêncio aguardamos ao Seu lado
Gloriosa salvação ; pois no Senhor
Repousa a nossa alma... Nossos lábios,
Nossos olhos de súplica e dor,
Nosso coração tão amargurado...
Há pois em nossa alma um só clamor
Que inspira piedade ao Deus amado,
Que espera e que confia no Senhor,
Que se curva e se humilha consternado.

*Referências Bíblicas:
Lamentações 3:22 a 26, 49, 50 ; Isaías 30:18 ; Miquéias 7:7.

do livro Relicário - Sonetos Bíblicos

quarta-feira, agosto 23, 2017

A Maior Empresa, poema de Nestor Welzel


A Maior Empresa

1. Entre as empresas todas, a maior
é, neste mundo, a igreja do Senhor,
grandiosa ação de redenção total,
ação de puro amor e guerra ao mal.

2. A imensa empresa o próprio Deus criou;
Jesus a grande firma organizou.
Seus capitais vultosos investiu,
e do serviço os homens incumbiu.

3. Jesus não quis os anjos convocar;
senhoras, homens, jovens foi chamar.
Ao mundo quer salvar por firme ação;
trabalha nessa empresa, meu irmão!

4. Na mui querida empresa aplica os bens;
emprega o tempo, os dons e o mais que tens!
Aplica tudo, aplica com amor;
investe, irmão, na igreja do Senhor!

Do livro Olhai as Aves do Céu (Concordia Publishing House, 1997).

quarta-feira, agosto 16, 2017

REFORMADORES em 200 Frases - Um livro gratuito para você

      


      Este é um livrinho singelo. São apenas 39 páginas, reunindo citações de temática diversificada da lavra daqueles que chamamos de Reformadores, tais como Lutero, Calvino e Zwinglio, e também dos assim chamados Pré-Reformadores, como Savonarola, Huss e Wycliffe, cujo esforço e eventual martírio foram precursores da Reforma maior que havia de vir.

      Neste ano comemoramos nada menos que quinhentos anos de Reforma Protestante. Assim, redondos, perfeitos. Por ocasião de tal efeméride, devemos ter por mote capital o lema proposto pelo reformador holandês Gisbertus Voetius (1589-1676): “Ecclesia Reformata et Semper Reformanda Est” (“A Igreja é reformada e está sempre se reformando”). A frase significa que a obra da Reforma não está concluída, mas persevera ou deve perseverar em seu avanço em direção à verdade e à vivência de um cristianismo a cada dia mais bíblico (há quem utilize o termo apostólico, perfeitamente válido) e equilibrado.

      Se a Reforma representou um retorno ou reaproximação à verdade, tal verdade deve ser comunicada com urgência e ímpeto; ímpeto maior do que o daqueles que comunicam o engano, cada vez maior, em cada vez mais variadas formas. Cremos que a Reforma é um movimento engendrado em Deus, peça de perfeito encaixe dentro de seu Kairós, seu tempo; movimento que aponta para conserto dos agentes e engajamento na ação, ou seja, reerguimento da Igreja e/para o cumprimento da Grande Comissão. Assim, a Reforma é um prenúncio da volta do Rei, e um movimento fundamental de seu glorioso retorno.

      No mais, aqui estão: os pais reformadores, em suas próprias palavras.


Para baixar o e-book pelo site Google Drive, CLIQUE AQUI.
Para baixar o e-book pelo site 4Shared, CLIQUE AQUI.
Para baixar o e-book pelo site Scribd, CLIQUE AQUI.
Para baixar o e-book pelo site SlideShare, CLIQUE AQUI.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...